GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA

Por incrível que pareça, uma alimentação saudável não é apenas uma questão de contagem de calorias e nutrientes. Ela envolve questões muito maiores, pois também está relacionada com sustentabilidade, cadeia de produção dos alimentos, comidas regionais, questões econômicas e muito mais.
Com o objetivo de melhorar a qualidade da alimentação e, consequentemente, da saúde, a Organização Mundial de Saúde(OMS) recomenda aos governos que elaborem guias alimentares para suas populações. O Guia Alimentar para a População Brasileira, foi elaborado pelo Ministério da Saúde do Brasil em parceira com a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) e a Universidade de São Paulo (USP), e foi publicado em 2006 com uma última versão atualizada em 2014. O Guia oferece várias dicas de combinações saudáveis para o café da manhã, almoço, jantar e lanches, respeitando as diferenças regionais e sugerindo alimentos e bebidas de fácil acesso para os brasileiros.
O guia apresenta ainda, uma forma inovadora de categorizar os alimentos, foram divididos em quatro grupos, levando em conta o nível de processamento utilizado para serem produzidos. São eles:

  • Alimentos in natura ou minimamente processados- Alimentos que não sofrem alteração ou sofrem pouquíssima alteração após serem retirados da natureza.
  • Óleos, gorduras, sal e açúcar. Produtos utilizados para preparar e/ou temperar alimentos.
    Alimentos processados. Alimentos in natura com adição de sal ou açúcar.
  • Alimentos ultraprocessados. Alimentos industrializados que utilizam muitos ingredientes e passam por muitas fases de processamento. Entre outras informações, a publicação apresenta ainda, 10 simples passos para alcançar uma alimentação saudável. São eles:
  1. Prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados.
  2. Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades.
  3. Limite o consumo de alimentos processados.
  4. Evite alimentos ultraprocessados, que são aqueles que sofrem muitas alterações em seu preparo e contêm ingredientes que você não conhece.
  5. Coma regularmente e com atenção. Prefira alimentar-se em lugares tranquilos e limpos e na companhia de outras pessoas.
  6. Faça suas compras em locais que tenham uma grande variedade de alimentos in natura. Quando possível, prefira os alimentos orgânicos e agroecológicos.
  7. Desenvolva suas habilidades culinárias. Coloque a mão na massa, aprenda e compartilhe receitas.
  8. Planeje seu tempo. Distribua as responsabilidades com a alimentação na sua casa. Comer bem é tarefa de todos.
  9. Ao comer fora, prefira locais que façam a comida na hora.
  10. Seja crítico. Existem muitos mitos e publicidade enganosa em torno da alimentação. Avalie as informações que chegam até você e aconselhe seus amigos e familiares a fazerem o mesmo.

O último passo consegue resumir toda a nossa orientação quando se fala de alimentação: Seja crítico e avalie as informações antes de passar adiante.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 156 p. : il
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

Dra. Marlice Marques
  • Nutricionista Clínica
  • Mestre em Ciências da Saúde (UFG)
  • Pós Graduada em Nutrição Clínica ( São Camilo-RJ)
  • Qualificada em Educação em Diabetes (SBD/ADJ/IDF)
  • Analista em Saúde  na Secretaria Estadual de Saúde GO
  • Membro do Departamento de Nutrição da SBD
  • Membro da Diretoria da  SBD Regional Goiás